domingo, julho 24, 2005

Considerações Proustianas I

Li em qualquer lado que devemos ler um pouco de Proust todos os dias e ,como eu acredito em tudo o que leio desde que esteja em Times New Roman, decidi aproveitar uma feira do livro local para comprar "No Caminho De Swann" - a primeira parte de 5 da obra "Em Busca do Tempo Perdido" de onde extrai o seguinte excerto:
"A imobilidade das coisas que nos cercam talvez lhes seja imposta pela nossa certeza de que essas coisas são elas mesmas e não outras, pela imobilidade do nosso pensamento perante elas."
Esta frase fez-me pensar se as coisas seriam como seriam só porque nós acreditamos demasiado nelas, será que existe outra realidade para além da percepção do sentidos, será que não exite nenhuma colher ("Matrix") , será o que o meu cérebro me andou a enganar este tempo todo perguntava-me eu enquanto me dirigia sonabulescamente, quase por instinto, para a cozinha. Foi então que descobri algo de maravilhoso: ainda restava um donut no pacote!

2 Comments:

Blogger José Ames said...

Que boa essa sensação de suspeitar

3:30 da tarde  
Blogger José Ames said...

Que boa essa sensação de suspeitar que há qualquer coisa por detrás das nossas percepções. E ainda por cima pela mão dum mestre do Desejo (Marcel)!

3:32 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home